Passar para o Conteúdo Principal

In Common Sports

imagem

IN COMMON SPORTS - INTERGENERATIONAL COMPETITION AS MOTIVATION FOR SPORT AND HEALTHY LIFESTYLE OF SENIOR CITIZENS
www.olympics4all.eu

Project Coordinator
MUNICIPIO DE VILA NOVA DE CERVEIRA
www.cm-vncerveira.pt

Project Information

  • Identifier: 590543-EPP-1-2017-1-PT-SPO-SCP
  • Start Date: Jan 1, 2018
  • End Date: Dec 31, 2020
  • EC Contribution: 316,986 EUR
  • Partners: COMUNE DI CESENA (IT), INSTITUTO POLITECNICO DE VIANA DE CASTELO (PT), UNIVERSITY OF THESSALY (TO CONFIRM), ZOLDPONT EGYESULET ES SZERKESZTOSEG (HU), AND OBSHTINA AKSAKOVO (BG)

O Município de Vila Nova de Cerveira lidera entre janeiro de 2018 e dezembro de 2020 um projeto no âmbito das parcerias colaborativas cofinanciado pelo programa Europeu Erasmus+, ação Desporto. Este projeto reúne cinco países europeus e agrega seis organizações: Município de Vila Nova de Cerveira, Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Município de Cesena (ITÁLIA) University of Thessaly (Grécia) o município de Aksakovo (Bulgária) e a Associação Zoldpont (Hungria) garantindo uma dimensão europeia e representando alguns dos países que apresentam as mais baixas taxas de prática desportiva na União Europeia.

O projeto desenvolverá o estudo "Aptidão física e desempenho cognitivo da população idosa - a competição como motivação adicional para a promoção de um estilo de vida ativo" envolvendo mais de 350 participantes dos cinco países e a implementação de 15 eventos "Olimpíadas intergeracionais" abrangendo cerca 500 participantes seniores. Prevê-se ainda o envolvimento de mais de 80 associações locais que intervêm em diferentes áreas: social, voluntariado, juventude e desporto.

Este projeto teve por base os resultados evidenciados pelo projeto Olimpíadas Intergeracionais 2015 promovido pelo Município de Vila Nova de Cerveira e financiado pelo programa ERASMUS + Sport no âmbito da Semana Europeia do Desporto 2015” (1º projeto nacional aprovado no âmbito desta medida). O referido projeto teve como principal atividade as Olimpíadas Intergeracionais que decorreram de 06 e 11 de Setembro de 2015 em Vila Nova de Cerveira e envolveram 9 equipas transnacionais (cerca de 250 participantes), em representação dos municípios portugueses (Alto Minho) e das localidades geminadas (ESPANHA e FRANÇA), numa competição saudável de modalidades desportivas universais e jogos tradicionais com o objetivo de aumentar a consciencialização da prática do desporto sem fronteiras, sem idade e sem género predefinidos e ampliar a participação no desporto e na atividade física de grupos mais vulneráveis.

O impacto da iniciativa nos participantes foi avaliado em Abril de 2016, através da realização de um inquérito, tendo-se demonstrado que cerca de 30% dos participantes seniores aumentaram a prática do exercício físico. A promoção desta iniciativa conduziu ainda à realização da II e III edição das Olimpíadas, em novembro de 2016 e em setembro de 2017, que decorreram nos municípios de Vila Nova de Cerveira, Melgaço e Viana do Castelo tendo participado mais de 200 idosos, demonstrando o efeito multiplicador do projeto e a sustentabilidade da iniciativa após o término do mesmo.

Assim, considerando que o envelhecimento na Europa é um desafio marcante para este século, o projeto Olimpíadas Intergeracionais constituí uma boa prática que, através do projeto “IN COMMON SPORTS” será replicada noutras regiões da Europa. O alto índice de dependência dos idosos nas regiões envolvidas neste projeto, e consequentemente a contribuição para o aumento das despesas de saúde e para a insustentabilidade das sociedades são preocupações constantes das instituições locais, nomeadamente dos municípios que diariamente lidam com a população sénior e procuram dinamizar e motivar os seus cidadãos para a adoção de estilos de vida saudável. Efetivamente, os resultados apresentados pelo projeto dinamizado em 2015, 2016 e 2017, valorizam o fator competição, demonstrando o efeito motivador que esta iniciativa pode produzir junto da população mais idosa sugerindo a necessidade de estudar e repensar as atividades oferecidas a esta faixa etária específica onde a competição esteja presente.

Com base nestes desafios comuns, o consórcio de parceiros propõe-se aprofundar o conhecimento dos fatores motivacionais para a prática continuada de exercício físico na população idosa e o impacto da competição “Olimpíadas Intergeracionais” no estado de aptidão física e mental do idoso. De forma sistematizada apresentamos os principais objetivos do projeto:

  1. Estabelecer uma rede de cooperação transnacional na área do desporto, com o objetivo de aumentar os níveis de atividade física na população sénior e identificar e partilhar boas práticas nesta área;
  2. Realizar um estudo longitudinal "Aptidão física e desempenho cognitivo da população idosa - a competição como motivação adicional para a promoção de um estilo de vida ativo" em Portugal, Itália, Grécia, Bulgária e Hungria. Este estudo pretende:
    1. Avaliar o impacto de uma competição desportiva nos participantes e analisar a associação entre o nível de atividade física, a aptidão física e o desempenho cognitivo dos idosos;
    2. Investigar o impacto das competições, como as "Olimpíadas Intergeracionais" no estado de aptidão física e estilo de vida saudável, sobre a população envelhecida;
    3. Compreender a motivação para a prática continuada de atividade física na população envelhecida;
    4. Examinar as alterações nos marcadores cardiometabólicos na população envelhecida
    5. Criar ligações intergeracionais para inclusão social
    6. Impulsionar e contribuir para o desenvolvimento de políticas e estratégias de promoção da saúde mais eficazes
  3. Testar e implementar o conceito de Olimpíadas Intergeracionais como ferramenta para a integração de grupos vulneráveis no desporto;
  4. Criação de um guia de boas práticas locais identificando programas de atividade física para idosos e as ferramentas necessárias para sua replicação
  5. Conceção de programas de atividade física ajustados aos parâmetros críticos de aptidão física detetados no estudo, a fim de evitar a perda de mobilidade funcional que afete a qualidade de vida, perda de autonomia e a independência das pessoas idosas.

    Mais informações