Passar para o Conteúdo Principal

Mosteiro da Batalha acolhe 20 obras da FBAC a partir de sexta-feira

 luis rocha 1 980 2500
2019/06/24

“Volumes e interações na história” é o nome da exposição que apresenta, a partir de sexta-feira, uma seleção de 20 de esculturas da Coleção da Fundação Bienal de Arte de Cerveira (FBAC) no Mosteiro da Batalha. O gótico e o contemporâneo encontram-se no âmbito do festival “Artes à Vila”, que decorre de 27 a 30 de junho.

A abertura da exposição “Volumes e interações na história” acontece na próxima sexta-feira, 28 de junho, às 19h00, no Claustro Real do Mosteiro Santa Maria da Vitória. Nas palavras do presidente da Fundação Bienal de Arte de Cerveira, Fernando Nogueira: “No ano em que recebemos a distinção de «Melhor Museu Português» pela Associação Portuguesa de Museologia, esta mostra neste monumento ímpar do gótico português vem reforçar o desígnio de valorização, dinamização e divulgação de uma importante Coleção, composta por cerca de 670 obras de arte contemporânea”.

A partir de 18 artistas propõe-se, assim, até 29 de setembro, “uma nova leitura das peças da coleção da Fundação Bienal de Arte de Cerveira e também uma reflexão acerca da arte contemporânea como expoente simbólico do lugar”, explica o diretor artístico da FBAC e curador da exposição, Cabral Pinto.

A parceria foi também alargada ao espaço público, onde o artista premiado na XI da Bienal Internacional de Arte de Cerveira (2001), Acácio de Carvalho, apresenta a intervenção “Pirâmide Imperfeita” de 6 metros de altura e 8 de largura.

De referir que a exposição integra o programa do festival “Artes à Vila” e vai contar, também, com apontamentos musicais de 12 alunos da Academia de Música Fernandes Fão.

O festival “Artes à Vila” estreou-se no Ano Europeu do Património Cultural, em 2018, com a ambição de se projetar em Portugal e na Europa pela música tradicional portuguesa e músicas do mundo. A segunda edição do festival regressa agora de 27 a 30 de junho para mais um fim de semana de partilhas e vivências culturais junto do Património da Humanidade, com música, exposições, visitas guiadas, workshops e conferências.

Fotografia: Luís Rocha