Passar para o Conteúdo Principal

Cerveira adere à rede nacional de espaços de coworking

Rede de teletrabalho   assinatra de protocolo 1 980 2500
2021/04/30

O Município de Vila Nova de Cerveira integra a 1ª fase da rede nacional de espaços de coworking “Teletrabalho no Interior. Vida Local, Trabalho Global”, criada pelos ministérios da Coesão Territorial e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Autarca Fernando Nogueira marcou presença, esta tarde, em Melgaço, na cerimónia de assinatura do Acordo de Cooperação, que contou com a presença da ministra Ana Abrunhosa, da Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira, e do Secretário de Estado do Trabalho e da Formação Profissional, Miguel Cabrita.

Analisados os critérios de centralidade, de proximidade a serviços e de conjugação com a vertente cultural, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira identificou o Centro de Apoio às Empresas – CAE e o Fórum Cultural de Cerveira como espaços ideais para a instalação destes centros de teletrabalho, integrando a restrita lista de 16 municípios da Região Norte, e 53 a nível nacional, a avançar com esta parceria.

Ambos os espaços passam a estar devidamente equipados com computadores, impressoras e acesso à internet e divididos em áreas de diferentes tipologias, de forma a disporem de bancadas livres para diferentes períodos de ocupação, zonas privadas para videochamadas, áreas para reuniões e locais para a realização de apresentações ou ações de formação.

A implementação destes centros de coworking, previsto no Programa de Estabilização Económica e Social (PEES), visa contribuir para a dinamização dos territórios do Interior, facilitando a fixação e atração de pessoas e empresas, diminuindo a necessidade de deslocações e a consequente pegada carbónica e melhorando a qualidade de vida das populações do Interior, ao promover a conciliação entre vida profissional e familiar.

O Governo compromete-se, através da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), a considerar a disponibilização de fundos europeus para, quando necessário, apoiar a contratação e a mobilidade de trabalhadores e comparticipar a adaptação física destes espaços, mas também a aquisição de mobiliário ou equipamento informático.

O teletrabalho e o coworking assumem particular importância para os territórios do Interior na redução da assimetria geográfica de ofertas profissionais, democratizando as oportunidades entre as regiões de elevada densidade populacional e as de menor densidade.

#covid19#câmara
Gabinete de Comunicação