Passar para o Conteúdo Principal

Rui Teixeira pede ao Governo Declaração de Situação de Calamidade para o concelho

Levantamento de prejuizos intemperie 5 1 980 2500
2023/01/06

Na sequência dos estragos registados em vários pontos do concelho devido à intempérie do dia 1 de janeiro, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira, acaba de formalizar o pedido de Declaração de Situação de Calamidade, junto do Gabinete do Primeiro-Ministro, e com conhecimento aos ministérios da Administração Interna, Coesão Territorial e Agricultura. A fundamentação para este pedido assenta “na catástrofe que provocou elevados prejuízos materiais e que afetou as populações e a economia na quase totalidade do território do Município de Vila Nova de Cerveira, o que permite a adoção de medidas excecionais, nos termos da Lei de Bases da Proteção Civil”.

Detalhando o conjunto de ocorrências detetadas em diversas estradas municipais e nacionais e em infraestruturas e equipamentos municipais, além dos elevados prejuízos em propriedades privadas e em instituições de âmbito social, a missiva dirigida ao Primeiro Ministro reporta que, apesar de todo o esforço realizado pelo Município, com o apoio de outras entidades públicas e privadas e da população em geral, para os primeiros trabalhos de limpeza, “os recursos municipais esgotam-se celeremente e a capacidade de resposta dos recursos humanos, para mitigar os efeitos dramáticos da intempérie, vai diminuindo com o passar do tempo”.

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira, afirma que a preocupação do executivo está centrada na segurança da população, alertando para “a elevadíssima saturação dos solos, que não conseguem absorver mais água, sendo certo que, atentos às condições meteorológicas para o próximo fim-de-semana, infelizmente, poderemos enfrentar novamente uma forte precipitação, numa altura em que os caudais dos rios, ribeiros e regos foreiros se encontram nos seus máximos”.

De sublinhar que a maioria das ocorrências mais graves da intempérie de 1 de janeiro foram verificadas nas freguesias mais ribeirinhas do concelho de Vila Nova de Cerveira – União de Freguesias de Cerveira e Lovelhe, Loivo, Gondarém, União de freguesias de Campos e Vila Meã e União de Freguesias de Reboreda e Nogueira -, e que após a intervenção imediata no terreno acionada pela Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, o município encontra-se, neste momento, a finalizar o levantamento total das ocorrências registadas, com equipas no terreno, no sentido de avaliar os avultados prejuízos causados pela tempestade e que serão reportados ao Governo, através de uma atuação concertada, no âmbito da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.