Passar para o Conteúdo Principal

Eco-Parque Transfronteiriço de 15ha integra projetos prioritários da cooperação Cerveira-Tomiño

Eco parque transfronteiri o de 15ha integra projetos priorit rios da coopera  o cerveira tomi o 1 980 2500
2015/03/27

Procurando promover e dinamizar as potencialidades de um território comum, os concelhos de Vila Nova de Cerveira (Portugal) e Tomiño (Galiza) vão avançar com um conjunto de projetos de âmbito transfronteiriço a implementar e candidatar a fundos comunitários, designadamente ao INTERREG V-A. A constituição do Eco-Parque Transfronteiriço ‘Castelinho-Espaço Fortaleza’ de 15ha, através da ligação de uma ponte pedonal sobre o rio Minho, é uma das prioridades apresentadas, esta manhã, no Auditório de Goian, Tomiño, durante as 1ªs Jornadas da Amizade Cerveira-Tomiño.
Fomentando o conceito de ‘um destino, dois países’, a valorização do rio Minho surge, neste contexto, como um elemento aglutinador de desenvolvimento de diversas vertentes. A existência de dois parques urbanos e de lazer nas margens do rio Minho - “um em frente do outro”, com uma oferta diversificada e complementar de valências -, suscitou a aposta num Eco-Parque Transfronteiriço que resultará da junção do Parque de Lazer do Castelinho (Vila Nova de Cerveira e do Espaço Fortaleza de Goián (Tomiño), com uma área atual de seis ha mas que, a médio prazo, com as ampliações previstas pelos dois Concelhos, corresponderá a uma área total de 15 ha. 
A concretização deste projeto só será possível através da ligação das duas margens através de uma ponte pedonal e ciclável sobre o rio Minho numa extensão de 300m, fazendo a ligação entre os dois parques. Os concelhos de Vila Nova de Cerveira e Tomiño vão agora proceder à elaboração dos estudos e projetos necessários para a execução deste projeto, prevendo apresentar uma candidatura ao próximo programa INTERREG V-A durante o segundo semestre de 2015.
Os vários intervenientes nas 1ªs Jornadas da Amizade foram unânimes ao realçar que a materialização desta estratégia a incidir sobre o rio Minho possibilitará uma ampla dinamização de outras áreas, nomeadamente a dinamização do turismo fluvial, com a melhoria de condições de pontões de acostagem para embarcações turísticas, com a beneficiação do Cais de Pesca e da Doca de Recreio de Vila Nova de Cerveira, bem como com a recuperação do cais do ferry de Goián para apoio à pesca e desportos náuticos. Não obstante, a mobilidade transfronteiriça também será alavancada com a ponte pedonal, nomeadamente a estação ferroviária de Vila Nova de Cerveira como nó de transporte no Vale do Minho Transfronteiriço.
Durante a sessão de abertura, a alcaldeza de Tomiño, Sandra Gonzalez, sublinhou “a vontade política de dois governos locais preocupados em alcançar novas fontes de financiamento para desenvolvimento futuro deste território comum”. Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira realçou a existência “de projetos e ambições conjuntas que podem ser enquadrados no novo QREN”, de maneira que “as jornadas não são o fim de um trabalho, mas devem ser encaradas como um capítulo de um grande livro, ou seja, esta cooperação tem de ser dinamizada no dia-a-dia, potenciada para que nunca tenha um final”. Fernando Nogueira destacou ainda a importância da cooperação entre municípios vizinhos preconizada na recente assinatura do Pacto do Rio Minho Transfronteiriço: “Era inquestionável o valor do rio Minho para estas localidades, mas hoje ficou bem vincado que a estratégia tem de passar por este recurso natural”, disse.
Representado pela Diretora do AECT-GNP, Maria Geraldes, o presidente da CCDR-N, Prof. Emídio Gomes, endereçou uma mensagem aos presentes, reconhecendo e valorizando a metodologia utilizada no trabalho iniciado pela dinâmica designada Amizade Cerveira-Tomiño. “O objetivo é definir as prioridades de desenvolvimento deste território onde residem cerca de 23 mil pessoas, e que tem privilegiado a promoção do debate e participação pública, a recolha de sugestões e a auscultação dos agentes locais e as entidades regionais, às quais a CCDR-N também se associou. (…) Por esse motivo, acolhemos com bom grado esta iniciativa, bem como outras, como a do Pacto do Rio Minho Transfronteiriço, recentemente assinado”. Já o Director Geral de Administração Local, D. José Alberto Pazos Couñago, frisou a importância desta cooperação como “exponencial”, e que “o projeto e as jornadas devem implementar-se como um novo passo sem voltar atrás. O Minho, pela vontade destes dois concelhos deixou de ser fronteira de água para concretizar-se em oportunidade para o encontro e para a amizade”.
A realização de quatro Focus Group e destas 1ªs Jornadas resultam na Agenda Estratégica de Cooperação Transfronteiriça Cerveira-Tomiño que estabelece as orientações estratégicas e define as linhas de ações e as prioridades em quatro eixos: o rio Minho, um recurso comum a potenciar; a mobilidade transfronteiriça e desenvolvimento territorial sustentável; gestão partilhada dos serviços e equipamentos públicos locais; o desenvolvimento económico desde a cooperação inteligente. 
Recorde-se que a Comissão Europeia adotou, no passado mês de fevereiro, o novo programa de cooperação transfronteiriça – INTERREG V-A - entre Espanha e Portugal, no valor de mais de 288 milhões de euros do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.