Passar para o Conteúdo Principal

Aprovação do prolongamento da A28 para Norte e prioridade da ligação ferroviária atlântica são “boas notícias para a conetividade do território”

 d6c5446 1 980 2500
2020/10/24

“Seguramente uma boa notícia que só peca por tardia”. É desta forma que o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, reage ao anúncio da ligação rodoviária entre a A28 em Gondarém e a A3 em Sapardos, ambos no concelho de Vila nova de Cerveira, obra integrada no Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030, com um custo estimado de 65 milhões de euros e execução até 2030.

Em pleno debate das II Jornadas da Amizade Cerveira-Tomiño, que decorreu esta sexta-feira, em Vila Nova de Cerveira, com a presença da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, e a Secretária de Estado para a Valorização, Isabel Ferreira, o edil sublinhou “a vitalidade de uma via de comunicação extremamente importante para a conetividade do território, permitindo melhorar a acessibilidade com Espanha e da inquestionável cooperação transfronteiriça”.

“Em 2018, quando encetei diligências para a necessidade de se recolocar na agenda política do Governo o prolongamento da A28 para Norte do concelho, alguns deputados da Assembleia Municipal consideraram uma iniciativa extemporânea, mas a verdade é que é premente”, assegura Fernando Nogueira. Os persistentes argumentos apresentados pelo autarca cerveirense aos sucessivos ministros da tutela e ultimamente ao governante Pedro Nuno Santos incidiam sobre “a urgência deste prolongamento da A28, como forma de aliviar o tráfego, especialmente de veículos pesados de mercadorias que transitam na EN13, muitos dos quais com matérias potencialmente perigosas para as pessoas e para o ambiente, revelando-se um grande constrangimento para as freguesias do concelho circundadas por esta via”. Fernando Nogueira acredita que “a execução desta empreitada virá aliviar aquilo que é, em determinados períodos do ano, é um autêntico calvário quando se fala na passagem pela EN13 entre Valença e o acesso da A28 em Gondarém, provocado por um volume de tráfego que vem desde os municípios de Melgaço, Monção e Valença, além de Espanha, através da fronteira Valença-Tui”.

No encerramento do painel intitulado “Europa Sem Fronteiras: o papel da cooperação transfronteiriça na consolidação do projeto europeu”, das II Jornadas Amizade Cerveira-Tomiño, a Ministra da Coesão Territorial apontou ainda a ligação atlântica Lisboa-Porto-Vigo como a prioridade portuguesa para a rede ibérica de alta velocidade. “A nossa prioridade não é a ligação entre Madrid e Lisboa. Porque de Madrid para Lisboa vamos de avião. Já temos ligação. A nossa prioridade, certamente, é o eixo atlântico, Lisboa, Porto e Vigo”, afirmou a governante, em Vila Nova de Cerveira. Para o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, esta é “mais uma excelente notícia para este território que começa a ser finalmente tido em consideração”.

O Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030 contempla várias obras há muito reclamadas no Alto Minho. Além da ligação da A28 à A3, há ainda 2ª fase de construção do acesso rodoviário da zona industrial do Vale do Neiva ao Nó da A28 e a construção de uma nova ponte sobre o Rio Lima entre a EN203 em Deocriste e EN202 em Nogueira, Viana do Castelo.

#A28#comboio
Gabinete de Comunicação