Passar para o Conteúdo Principal

30 anos de descobertas no Aro Arqueológico do Forte de Lovelhe

Arte final cartaz a3 1 980 2500
2015/09/16

Pela importância histórica no contexto do Norte de Portugal e da Galiza, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira vai assinalar, de 25 de setembro a 03 de outubro, os 30 anos sobre a primeira intervenção arqueológica no Aro Arqueológico do Forte de Lovelhe. O vasto programa de atividades gratuitas visa o envolvimento da comunidade local, escolar e científica.

Um sítio arqueológico carregado de história e identidade que permitiu conhecer em profundidade a presença humana, as suas relações e atividades, nos últimos 2100 anos em Vila Nova de Cerveira e nas localidades de fronteira. Foi há 30 anos que uma equipa de arqueólogos começou a por a descoberto, na freguesia de Lovelhe, diversas ruínas, mostrando a evolução de pequeno castro, transformado em vicus sob a alçada romana e reocupado durante o período suevo-visigótico, exumando um vasto conjunto de peças arqueológicas.

Volvidas três décadas, a autarquia cerveirense pretende comemorar esta efeméride com um programa evocativo do Aro Arqueológico do Forte de Lovelhe que, além de dar a conhecer algumas peças, faz um ponto de situação nas investigações e trabalhos entretanto executados, propiciando uma ampla difusão de conhecimento sobre esta estação arqueológica.

“É de todo importante perceber o passado para entender o presente e preparar o futuro. O estudo e a proteção do espólio, das ruínas e dos conhecimentos consolidados nestes 30 anos colocam Vila Nova de Cerveira no mapa da investigação científica e promovem este espaço fantástico enquanto pólo de investigação, local de aprendizagem e de referência turística”, explica Aurora Viães. A vereadora da cultura do executivo cerveirense acrescenta ainda que o Aro Arqueológico do Forte de Lovelhe constitui-se como “um espaço de visita para todas as escolas, pois permite aos alunos contactar in loco com o evoluir dos tempos”.

Pela primeira vez será possível apreciar o espólio exumado numa mostra patente no antigo edifício da Câmara Municipal, no Castelo; fazer visitas guiadas à estação arqueológica incluindo a fortaleza e os diferentes sectores de ruínas, ou participar num Ciclo de Conferências intitulado “O Forte de Lovelhe e o seu contexto regional” e que conta com a presença de vários especialistas nacionais e galegos; e a apresentação do livro “Memórias Arqueológicas do Forte de Lovelhe, 1985-2015” pelo Prof. Doutor Carlos A. Brochado de Almeida. E porque a história é de todos e para todos, estas comemorações almejam o envolvimento da comunidade local com o seu património, com destaque para um trabalho mais direto com as escolas do Concelho.

Entre 25 de setembro e 03 de outubro, as atividades são gratuitas e abertas ao público, apenas solicitando-se marcação prévia para arqueologia@cm-vncerveira.pt ou 251 70 80 20.