Passar para o Conteúdo Principal

Autarquia avança com projeto para espaço industrial em Sapardos

Sapardosue23 1 980 2500
2016/10/14

Prosseguindo com políticas ativas de investimento capazes de atrair novos empresários e investidores para o concelho, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira está a proceder à elaboração de um projeto que visa a criação de uma área industrial na freguesia de Sapardos, de cerca de 72.000m2. Trata-se do único espaço previsto no Plano Diretor Municipal (PDM) para acolher este tipo de atividade.

De acordo com o estudo prévio já realizado, a Unidade de Execução do Plano Diretor Municipal nº 23 (UE 23) a ser instalada no lugar de Alto de Carditol, em Sapardos, pertence à subcategoria de Espaços de Atividades Económicas e contempla nove lotes destinados, maioritariamente, à instalação de unidades industriais.

Segundo o edil cerveirense, “há um conjunto de fatores que justificam a criação desta área, nomeadamente porque a procura de investidores continua a ser intensa e, não tendo o Município terrenos disponíveis, e sendo este o único espaço municipal que o PDM permite, o executivo decidiu avançar com a execução de um novo espaço industrial, de forma a poder dar resposta efetiva aos interessados”.

Com uma excelente localização de proximidade ao nó da A3 em Sapardos, que serve diretamente os grandes centros como a Galiza, Braga e Porto, mas também os concelhos alto-minhotos de Paredes de Coura, Valença e Ponte de Lima, este futuro espaço industrial poderá acolher diversas ocupações na vertente industrial. O objetivo é que a UE nº 23 seja executada em duas fases: uma primeira com área aproximada de 45.000 m2, constituída por cinco lotes; e uma segunda fase, com área aproximada de 25.000m2, constituída por seis lotes.

Para além de criar condições para potenciais interessados, a prioridade da autarquia cerveirense passa igualmente por dotar de todas as condições e requisitos as empresas já instaladas nos dois polos industriais. “Há que ter em consideração que os três mil empregos atualmente ali existentes permitem que Vila Nova de Cerveira tenha uma taxa de desemprego abaixo da média nacional”, diz Fernando Nogueira, referindo ainda que há empresários a demonstrarem pretensão para ampliações de espaços e recrutamento de colaboradores, mas deparam-se com dificuldades, e aí a autarquia pode intervir com medidas de apoio na formação e qualificação profissional, desburocratização de processos, entre outras.

Vila Nova de Cerveira tem sido um dos concelhos precursores da industrialização ao nível industrial que mudou o paradigma da vida quotidiana dos alto-minhotos, passando de uma comunidade eminentemente rural, que vivia da agricultura de subsistência, de alguns serviços e da emigração, para acolher um forte desenvolvimento industrial. Na década de 80 e sobretudo de 90, a Câmara Municipal promove a construção de loteamentos industriais que rapidamente se esgotaram e onde atualmente estão instaladas cerca de 40 unidades empresariais.