Passar para o Conteúdo Principal

Assembleia Municipal convida cerveirenses para debater “Evolução Demográfica no Concelho”

Assembleia municipal convida cerveirenses para debater  evolu  o demogr fica no concelho  1 980 2500
2015/06/03

A diminuição de população no concelho de Vila Nova de Cerveira, com maior incidência nas freguesias do interior, tem suscitado, desde fevereiro passado, um intenso trabalho de análise e de concertação de estratégias para travar este fenómeno. Neste sentido, a Assembleia Municipal, em colaboração com Câmara Municipal e a Comissão de Trabalho, dinamiza, esta sexta-feira à noite, um debate aberto a toda a comunidade em torno da “Evolução demográfica no concelho de Vila Nova de Cerveira – Análises – Reflexões – Perspetivas”.
Na reunião da Assembleia Municipal de 21 de Fevereiro de 2015 em Covas, os registos demográficos presentes e futuros do concelho foram, unanimemente, considerados um problema grave e cuja resolução, apesar de não ser imediata nem exclusiva a Cerveira, justifica o esforço de todos para perceber as suas causas e, simultaneamente, apontar as possíveis soluções. 
Nesse âmbito foi constituída uma Comissão de Trabalho, cujo objetivo assenta na elaboração de um relatório de cariz interventivo, com base no diálogo com os diversos agentes de intervenção social vocacionados para esta área, mas também auscultando os cerveirenses
O debate público “Evolução demográfica no concelho de Vila Nova de Cerveira – Análises – Reflexões – Perspetivas” visa o estreitar de conhecimento entre autarcas, técnicos, especialistas e os representantes da sociedade civil, e a sua utilidade para facilitar contactos e discussões públicas que ajudarão a definir uma estratégia de intervenção e a construir um futuro mais fecundo.
Desta forma, toda a população está convidada a desempenhar um papel ativo no debate público desta sexta-feira, às 21h30, na Biblioteca Municipal.
Recorde-se que o documento que gerou esta reflexão e intervenção agrega uma radiografia populacional comparativa entre a média dos últimos 18 anos e uma projeção para as duas próximas décadas no concelho, com base no Instituto Nacional de Estatística, revelando uma perda muito significativa de população nas seis freguesias mais de interior – Candemil, Covas, Gondar, Mentrestido, Sapardos e Sopo. Apesar de progressivamente se ter acentuado, o seu início remonta a meados do século passado.